Compartilhe este conteúdo!

 
Se você trabalha vendendo pela internet, independente do seu nicho – eCommerce, infoprodutos, prestação de serviços ou produtos físicos – já deve ter ouvido falar em gestão de tráfego pago, não é mesmo?

O termo “tráfego pago” é muito comum no mundo do marketing digital e, essa estratégia (quando usada corretamente), pode alavancar as suas vendas e faturamento.

Por isso, preparamos este artigo completo com exatamente tudo o que você precisa saber sobre tráfego pago e como você pode começar a investir em anúncios patrocinados.

Então, aproveite o conteúdo valioso deste artigo e aprenda como utilizar o tráfego pago em seu negócio!

O que é tráfego pago?

Antes de mais nada, você precisa entender o que o termo “tráfego”, de forma isolada, significa, para então entender o que é e como funciona o tráfego pago.

“Tráfego”, dentro do marketing digital, refere-se à navegação de potenciais clientes em seu site insticional, eCommerce ou landing page.

construtor de landing pages

Quanto mais usuários (qualificados) navegam pelo seu site, consomem seus conteúdos e conhecem seus produtos e/ou serviços, maiores serão as suas chances de vender mais.

Com isso em mente, saiba que a função do tráfego pago é justamente essa:

  • aumentar os acessos ao seu blog;
  • aumentar as visitas dentro do seu e-commerce;
  • aumentar o engajamento da sua conta comercial no Instagram.

Através de anúncios patrocinados nas redes sociais e em motores de busca, como o Google.

Dessa forma, o tráfego pago nada mais é do que o fluxo de usuários que acessaram o seu domínio e tiveram como origem (fonte de tráfego) um anúncio patrocinado e, ao clicar nesse anúncio, tiveram algum contato com a sua marca, produto ou serviço.

Como funciona o tráfego pago?

Agora que você já sabe o que é essa fonte (origem) chamada de tráfego pago, precisa entender como as principais plataformas de tráfego pago funcionam, de fato.

De modo resumido, a criação de campanhas e anúncios patrocinados podem ser feitos a partir de plataformas como:

  • Google Ads;
  • Facebook Ads, dentre outras disponíveis no mercado.

A partir delas, você define um orçamento diário (ou vitalício) a ser investido em seus anúncios e só paga quando alguém clicar ou visualizar, como no caso dos vídeos.

Assim, a lógica por trás das plataformas de tráfego pago é bem simples: você paga por uma posição mais destacada (e privilegiada) na internet, alcançando mais pessoas e aumentando a visibilidade da sua marca.

Porém, existe um caminho específico a ser percorrido, caso você queira alcançar resultados expressivos com o tráfego pago.

O primeiro passo desse caminho é o planejamento.

Tráfego pago envolve (muito) planejamento

Assim como qualquer outro setor do seu negócio, o tráfego pago exige muito planejamento prévio para gerar bons frutos.

“Dê-me seis horas para cortar uma árvore e eu vou gastar as quatro primeiras afiando o machado”. Abraham Lincoln

Não adianta apenas criar uma conta em uma plataforma de geração de tráfego, investir seu dinheiro e esperar as vendas caírem em sua conta bancária.

A realidade é que, antes de qualquer outra coisa, você precisa pensar no porquê pretende investir em tráfego pago.

Seus objetivos de campanha podem variar entre:

  • aumentar a visibilidade e alcance da sua marca;
  • ganhar mais seguidores nas redes sociais;
  • gerar leads qualificados e novas oportunidades de negócio;
  • gerar visitas no seu site, blog, loja virtual ou landing page;
  • vender um produto (físico ou digital) ou até mesmo um serviço;

Com o objetivo de marketing da sua campanha bem definido, pense na sua persona, avatar ou cliente ideal.

  • Onde essa persona está presente e costuma navegar por mais tempo pela internet?
  • Essa persona costumar assistir vídeos no YouTube?
  • Ela consume matérias em portais de notícias?
  • Essa persona costuma navegar diariamente em quais redes sociais?

Pensar na sua persona é essencial para definir o canal de aquisição de clientes (fonte de tráfego) no qual seus anúncios serão veiculados e qual formato será utilizado (imagem, texto ou vídeo).

Sabendo disso, é importante que você entenda como é feita a cobrança dos anúncios, independentemente da plataforma escolhida.

Existem duas opções mais comuns de cobrança:

  • Custo por Clique (CPC);
  • Custo por Mil Impressões (CPM).

CPC (custo por clique)

O Custo por Clique, como o próprio nome sugere, determina a cobrança dos anúncios apenas quando os mesmos recebem cliques e interações dos usuários.

Por isso, é tão importante pensar na sua persona ao desenvolver um (ou mais) anúncios para evitar que as pessoas desinteressadas ou apenas curiosas cliquem e consumam seu orçamento de forma desnecessária.

Nessa modalidade de cobrança, você pode definir um custo por clique (manual) ou deixar no automático (otimizado pela plataforma).

Caso você tenha desenvolvido um artigo muito bom e muito completo no seu blog, e queira que mais pessoas o vejam, por exemplo, escolha essa modalidade.

CPM (custo por mil impressões)

Na modalidade de cobrança de Custo por Mil Impressões (CPM), você só paga quando o seu anúncio alcança 1.000 impressões.

Por isso, se o seu objetivo é aumentar o alcance ou reconhecimento da sua marca, essa opção pode ser a mais adequada.

Por exemplo, caso você queira reforçar para os seus leads (que já se cadastraram em uma live ou maratona) que você irá fazer em breve.

Você pode criar uma campanha de alcance no Facebook Ads, escolher essa modalidade de CPM (Custo por Mil Impressões) e criar anúncios que possuem o caráter de lembrar (apenas àqueles que já se inscreveram) que:

  • Faltam 5 dias para a maratona ao vivo;
  • Faltam 4 dias para a maratona ao vivo;
  • Faltam 3 dias para a maratona ao vivo;
  • Faltam 2 dias para a maratona ao vivo;
  • Falta 1 dia para a maratona ao vivo;

Dessa forma, você garante uma taxa (maior) de participação no evento, além de aproveitar melhor o seu orçamento (que foi previamente otimizado para CPM).

Como funciona o tráfego pago na prática?

Ainda assim, para que você entenda melhor como o tráfego pago funciona, pense em todas as vezes que você pesquisou algo no Google.

Por exemplo, suponhamos que você tenha pesquisado “sapato social feminino” ou “como vender no Google Shopping” e, dentre os primeiros resultados da busca, estavam os links “patrocinados” no topo.

anúncio patrocinado de sapato social feminino no Google Shopping
Google Shopping Ads para lojas virtuais / eCommerces
gestão de tráfego no Google Shopping
Rede de Pesquisa do Google para negócios locais

Essa estratégia, para aparecer nos primeiros resultados de pesquisa do Google, foi possível graças ao tráfego pago.

Além de que, os anúncios que aparecem nas primeiras posições (se feitos por quem entende do assunto) normalmente são relevantes e altamente lucrativos, pois correspondem às palavras-chave que o usuário digitou durante sua pesquisa.

Além dos resultados patrocinados nas buscas no Google, tente se lembrar das vezes em que você estava “rolando” o feed do Facebook ou Instagram e viu um anúncio de um produto, serviço, promoção, material gratuito ou evento que você visualizou.

anúncio patrocinado no Instagram Ads

Todas essas situações envolvem estratégias de tráfego pago.

Percebeu como essa estratégia é algo mais comum do que você imagina?

Assim, antes de investir, de fato, nessa modalidade, conheça as principais vantagens e desvantagens que ela apresenta.

Principais vantagens do tráfego pago

As principais vantagens do tráfego pago não se resumem apenas a visibilidade de marca ou aumento em vendas, como veremos a seguir.

Segmentação de público

Todas as plataformas de anúncios patrocinados possuem um sistema de segmentação de público-alvo que será impactado pelos seus anúncios.

Nesse sentido, você pode escolher, por exemplo as seguintes características de público-alvo:

  • gênero (sexo);
  • faixa etária (idade);
  • preferências e interesses;
  • dispositivo (IOS, Android, desktop, etc)
  • posicionamento (existem inúmeros posicionamentos em cada plataforma);
  • localização (esse fator é essencial caso você queira que seus anúncios sejam visualizados por pessoas de uma região específica, como apenas o estado de São Paulo, uma cidade específica ou um conjunto de cidades, por exemplo).

Esses recursos de segmentação (se bem utilizados) permitem que você exiba seus produtos ou serviços para o público certo, que realmente tem interesse em adquirí-lo, no momento em que o mesmo procura por ele.

Assim, você economiza seus recursos financeiros e torna a probabilidade de venda muito maior!

Resultados praticamente imediatos

O principal diferencial do tráfego pago quando comparado a outras estratégias de Marketing Digital, é a possibilidade de resultados imediatos.

Nesse sentido, o termo “resultados” não engloba apenas vendas, mas também:

  • visibilidade;
  • reconhecimento de marca;
  • construção de autoridade;
  • melhor entendimento da jornada de compras da sua persona.

Todos esses resultados levariam meses, ou até mesmo anos, para serem conquistados em uma estratégia de marketing orgânica, ou seja, sem nenhum investimento financeiro.

Baixo investimento inicial

Talvez você tenha pensado que, no momento, não tem recursos suficientes para investir, ou ainda, que apenas grandes empresas conseguem trabalhar com tráfego pago e obter bons resultados.

Mas, para a sua alegria, saiba que você pode começar ainda hoje, mesmo com pouco dinheiro disponível.

O Facebook Ads, por exemplo, permite que você comece com o valor mínimo de 1 dólar (dia), ou seja, isso representa pouco mais de 5 reais / dia.

Bem acessível, não acha?

Você é responsável pelo sucesso do seu anúncio

Você pode configurar suas campanhas de anúncios patrocinados, determinar um orçamento que cabe no seu bolso e escolher para quem você deseja que seu anúncio seja exibido.

Assim, você é o protagonista da sua campanha, pode fazer tudo sozinho, de acordo com as características do seu modelo de negócios.

Porém, é importante dedicar tempo para estudar e conhecer todas as funcionalidades das plataformas para que você não desperdice dinheiro ao configurar algo de maneira equivocada.

Assim, caso você não tenha o tempo e a disposição necessários para fazer tudo sozinho, que tal delegar essa função para quem entende do assunto?

Nós, da agência O Condado, oferecemos serviços altamente especializados de:

Garantindo assim, com muita experiência operacional e estratégica (+ de 8 anos no mercado e + de R$ 18 milhões gerenciados em verba patrocinada) que as suas campanhas alcancem os melhores resultados, de acordo com as metas de marketing da sua empresa (geração de leads, vendas online, etc).

Desvantagens do tráfego pago

Como tudo na vida, o tráfego pago também apresenta certas desvantagens, que veremos a seguir.

Não sustentável (individualmente) a médio e longo prazo

Trabalhar apenas com estratégias de tráfego pago pode colocar a estrutura da sua empresa em risco e torná-la insustentável a longo prazo.

Esse risco é real, uma vez que, se por algum motivo você precisar diminuir seu investimento em anúncios patrocinados, suas vendas e resultados financeiros serão imediatamente prejudicados.

Por isso, é importante usar o tráfego pago como um dos pilares da sua estratégia digital, e não o único.

Dependência financeira

Seguindo a mesma linha de raciocínio do tópico anterior, se você depende exclusivamente do tráfego pago, pense no que aconteceria se a inflação aumentasse ou o real desvalorizasse ainda mais.

Provavelmente, você teria que investir ainda mais do que estava acostumado para obter os mesmos resultados (ou resultados ainda menores).

Além disso, se seus recursos para investir se esgotarem, suas vendas vão acompanhar o mesmo fluxo.

Tenho certeza que não é isso que você quer, certo?

Então, dentre outras alternativas e estratégias complementares, está o marketing de conteúdo, que você pode aderir à sua empresa.

Mas, diante dessas desvantagens, será que o tráfego pago realmente vale a pena?

Por que não utilizar apenas as estratégias de tráfego orgânico?

Veja logo abaixo qual é a melhor estratégia para o seu negócio!

Tráfego pago x tráfego orgânico: qual o melhor?

Como vimos acima, o tráfego pago apresenta certas desvantagens quando estabelecido como única estratégia de marketing, assim como todas as outras estratégias (se feitas individualmente).

Mas, não pense que ao descartar o tráfego pago e aderir apenas ao tráfego orgânico, onde você não precisa investir em anúncios, vai facilitar a sua vida.

Muito pelo contrário, ao utilizar apenas o tráfego orgânico, ao invés de investir em anúncios patrocinados, você terá que investir em tempo: muitas horas de estudo, aplicação e análise, para conseguir atrair pessoas qualificadas e, por fim, fazer vendas.

Por isso, a melhor estratégia de todas é unir as duas modalidades de tráfego:

  • tráfego orgânico e tráfego pago.

Assim, se esforce para aplicar estratégias de tráfego orgânico como marketing de conteúdo, otimização de conteúdo (SEO) e construção de listas de e-mail marketing, por exemplo.

Em paralelo, busque alcançar um público qualificado com suas ofertas e distribuição de conteúdo, potencializando-os através do tráfego pago.

Quando essas duas estratégias caminham lado a lado, o sucesso é garantido e mais do que certo!

Como unir tráfego pago e tráfego orgânico?

Para que você consiga bons resultados com estratégias de tráfego pago, é preciso que você já tenha uma estrutura digital razoavelmente boa. Isso inclui:

  1. Marca (moderna, profissional e bem desenvolvida);
  2. Registro da sua marca (para garantir exclusividade, além de evitar problemas legais de propriedade intelectual);
  3. Website (moderno, veloz e com conteúdo útil e relevante);
  4. Landing pages (para captar novos leads e/ou vender produtos online);

Acompanhe abaixo os pilares para o sucesso de uma estratégia de marketing digital que une tráfego pago e tráfego orgânico.

Transpareça confiança e profissionalismo

Por exemplo, de nada adianta fazer um anúncio com o objetivo de direcionar as pessoas ao seu site, se o mesmo está incompleto, com páginas essenciais desativadas e sem nenhum conteúdo interessante publicado.

Além do mesmo não representar (fielmente) a identidade visual da sua marca.

O efeito, nesse caso, será totalmente reverso: ao invés de contribuir para a construção de autoridade e reconhecimento, sua empresa perderá credibilidade e passará a ser considerada como não confiável pelo mercado.

Assim, antes de investir em tráfego pago para impulsionar o seu negócio, deixe a “casa” arrumada, com conteúdos (e plataforma) muito bem produzidos e todos os recursos funcionando.

Organize seu tempo para dar atenção às duas vertentes

Para que a estratégia funcione, é necessário muita organização da sua parte.

Não adianta, por exemplo, se concentrar na produção de novos conteúdos e esquecer de criar, analisar e otimizar seus anúncios.

Tenha foco, organização e delegue funções, caso seja necessário.

Você pode, por exemplo, terceirizar a gestão dos seus anúncios, com a ajuda de um gestor de tráfego pago.

Aqui mesmo no blog, nós temos um artigo explicando o passo a passo como contratar um ótimo gestor de tráfego.

Porém, caso você não tenha recursos disponíveis no momento, se concentre em estudar bastante e distribuir o seu tempo entre as estratégias de tráfego orgânico e tráfego pago.

Por que a sua empresa deve investir em tráfego pago?

Confira quais os principais motivos para que a sua empresa invista em tráfego pago e quais são os benefícios dessa modalidade.

Mais visibilidade para a sua marca

Sua marca, produto ou serviço ganhará cada vez mais reconhecimento a cada anúncio visualizado pelo seu público-alvo.

A famosa frase “a repetição é a mãe da retenção” também se aplica nesse caso.

Ou seja, não crie campanhas patrocinadas “de vez em quando”.

E, quanto mais pessoas visualizarem seus anúncios (fixação de marca), mais elas passarão a confiar na sua empresa.

Aumento em vendas

Esse é, de longe, o melhor motivo para investir em tráfego pago.

Sem dúvidas, todos os empreendedores (negócios locais ou negócios online) buscam alavancar seus resultados.

Por isso, o tráfego pago é uma excelente opção de retorno rápido e baixo custo, como vimos mais acima.

Possibilidade de divulgação de eventos ou promoções específicas

Caso você tenha os recursos necessários para investir frequentemente em tráfego pago, é interessante aproveitar situações específicas como épocas de promoção (datas sazonais) ou lançamento de um novo produto ou serviço, por exemplo.

Assim, você alcança mais pessoas e potencializa o resultado em um curto período de tempo.

Percebeu? Existem dezenas de motivos para que você invista em tráfego pago.

Tráfego pago: principais plataformas

Conheça agora as principais plataformas de tráfego pago e os diferenciais que cada uma delas pode oferecer.

Facebook Ads

O Facebook Ads é uma plataforma que permite a criação e veiculação de anúncios em vídeo e imagem dentro do Facebook, chamando a atenção do usuário da rede social para saber mais sobre o seu produto ou serviço.

Vale lembrar que essa plataforma impacta apenas o público que navega dentro das redes pertencentes (ou parceiras) do grupo do Facebook, e a mesma permite que você segmente (de forma muita precisa) quem você deseja impactar.

Se quiser saber mais sobre a plataforma do Facebook Ads, confira o artigo que nós desenvolvemos sobre ela!

Instagram Ads

Semelhante ao Facebook Ads (já que pertencem ao mesmo grupo), o Instagram Ads permite que os usuários do Instagram visualizem seus anúncios através do:

  • Feed: em formato de fotos ou vídeos únicos ou em carrossel (várias fotos e/ou vídeos em um único post);
  • Stories: que possuem duração de 15 segundos e costumam ser ótimos para campanhas de tráfego (cliques no link).
  • IGTV:

Você também pode criar seus anúncios por meio do botão “promover”, dentro do próprio Instagram (embora não seja recomendado), ou por meio do Gerenciador de Anúncios do Facebook Ads (que é a prática mais recomendada e mais eficaz).

Assim, você consegue impactar usuários específicos que navegam no Instagram e até àqueles que interagiram com a sua conta comercial.

Google Ads

O Google Ads é uma plataforma muito intuitiva para a criação de anúncios em texto, imagem ou vídeo.

Dentro do Google Ads, você pode escolher veicular seus anúncios apenas na rede de pesquisa (no próprio buscador do Google) ou na rede de Display (em aplicativos e sites parceiros do Google).

Sem dúvidas, a maior vantagem do Google Ads é a cobrança por clique, ou seja, você só paga quando alguém clica no seu anúncio (na rede de pesquisa).

E, para evitar que pessoas aleatórias, que não fazem parte do seu público-alvo, cliquem nos seus anúncios, existe a segmentação por palavras-chave específicas.

Assim, você consegue identificar quais palavras-chave performam melhor e atraem mais clientes.

YouTube Ads

O YouTube Ads faz parte do Google Ads, uma vez que pertence ao grupo do Google.

Por meio dele, você pode produzir anúncios em vídeo para atrair clientes em potencial.

Vídeos interessantes e diretos ao ponto podem levar o usuário a clicar no seu anúncio e até mesmo a comprar o seu produto.

Dentro do YouTube Ads, é possível mostrar seus anúncios em vídeo antes, durante ou depois da reprodução de outros vídeos.

Além disso, também é possível segmentar o público-alvo dos seus anúncios e definir quais pessoas você deseja impactar.

LinkedIn Ads

O LinkedIn é uma rede social para conexões profissionais e mais “corporativas”.

Por isso, anunciar no LinkedIn Ads pode ser uma opção muito relevante, caso você ofereça serviços específicos ou venda produtos para outras empresas (segmento B2B).

Mas, o valor por clique da plataforma é mais caro do que as demais e, talvez, caso você esteja começando agora no mundo do tráfego pago, essa não seja a melhor opção.

Twitter Ads

O Twitter Ads é uma plataforma menor (menos popular) do que as outras, porque conta com uma audiência muito específica.

Mas, nada impede que você faça testes na plataforma, uma vez que você também pode criar anúncios em texto, fotos ou vídeos.

Taboola

O Taboola vem crescendo muito e tem como foco o público de portais de notícias.

Seus anúncios, criados na plataforma, são exibidos dentro de grandes portais de notícias da internet como conteúdos recomendados.

Se você é um consultor imobiliário, por exemplo, pode anunciar um conteúdo relacionado a temas de aumento dos preços de imóveis em determinadas regiões, para ser exibido em sites como UOL Economia.

O Taboola trabalha com a modalidade de anúncios nativos, que são anúncios “disfarçados” de conteúdo, por assim dizer.

Quando o usuário se depara com o seu anúncio, não percebe (de forma muito clara) que trata-se de uma publicidade patrocinada.

Como gerar tráfego através dos anúncios patrocinados?

Para começar a gerar tráfego através dos anúncios online, você pode seguir esses passos:

  • reservar um orçamento para investir, antes mesmo de iniciar o projeto;
  • ter em mente quem é a sua persona, ou seja, o perfil de cliente ideal, que compraria o seu produto ou contrataria o serviço;
  • escolher, a partir de uma análise bem detalhada, em quais canais a sua persona está mais presente;
  • criar a sua conta na plataforma, que distribui anúncios neste canal específico;
    • por exemplo, se a sua audiência está presente no Facebook, consumindo os conteúdos publicados por lá, você deve escolher o Facebook Ads para começar;
  • estudar (o máximo que você puder) sobre a plataforma em questão;
  • dar os primeiros passos para configurar sua conta de anúncios e públicos na plataforma;
  • criar suas primeiras campanhas e anúncios de teste.

Seguindo esse passo a passo, é preciso que você conheça bem a sua persona.

Afinal, toda a sua estratégia, de tráfego pago ou não, se baseia nela.

Não só isso, é preciso que você estude (o máximo que você puder) sobre a plataforma escolhida, para evitar o desperdício de investimento e erros básicos ao configurar e criar seus anúncios.

Você pode aprender sobre Facebook Ads e Google Ads aqui mesmo, em nosso blog.

Inicialmente, você pode se basear nos conteúdos gratuitos disponibilizados na internet e fazer as configurações iniciais em cada plataforma.

Mas, saiba que a falta de conhecimento e experiência pode levá-lo a desperdiçar recursos preciosos como: tempo e dinheiro.

Por isso, sinta-se à vontade para buscar a ajuda de profissionais qualificados e experientes, como é o caso dos profissionais que compõem a equipe de tráfego da nossa agência.

Portanto, ficou claro que o planejamento e o conhecimento (operacional e estratégico) são as bases para que você comece a gerar tráfego por meio de anúncios pagos. Certo?

Como investir em tráfego pago com pouco dinheiro

Como vimos mais acima, não é preciso que você tenha muito dinheiro disponível para investir e sim consistência ao investir.

Apesar de o valor mínimo de plataformas como Facebook Ads, por exemplo, ser de 1 dólar por dia, lembre-se que os anúncios passam por um sistema de leilão, e quem investe mais tem maiores chances, consequentemente, de vender mais.

Mesmo assim, é importante que a sua empresa possua um planejamento financeiro, determinando o quanto será investido em anúncios online, para que não comprometa o seu fluxo de caixa.

Com o montante a ser investido previamente determinado, determine o valor máximo que você deseja investir por lead (ou por venda), de acordo com o objetivo da sua campanha.

Ou seja, se a sua campanha estiver configurada com uma meta de vendas, você precisará determinar quanto está disposto a pagar por cada uma dessas novas conversões.

Depois disso, crie a sua campanha, atentando-se às configurações de público-alvo, como faixa etária, localização, gênero, classe social, interesses e comportamentos.

Essa etapa requer muita atenção, afinal, você não deseja pessoas “desqualificadas”, sem interesse em seu produto ou serviço, clicando em seus anúncios, consumindo seu orçamento e lhe trazendo prejuízo, não é?

Conclusão

Assim, fica claro para você, como dono(a) de um eCommerce ou negócio local, que é importante (e até necessário) aderir ao tráfego pago o quanto antes, junto à sua estratégia de marketing digital como um todo.

Com o tráfego pago, você pode duplicar, ou mesmo triplicar, seus resultados atuais.

Basta saber usá-lo da maneira correta, assim como foi explicado no decorrer deste artigo.

Lembre-se que, para ser bem sucedido em sua estratégia de tráfego pago, você precisa estudar e testar muito, analisando todos os resultados e comparando as diferentes campanhas (que possuem a mesma meta de marketing).

Mas, caso você tenha percebido que não ter o tempo, o conhecimento e a motivação necessários para estudar, aplicar e otimizar seus resultados, fique à vontade para entrar em contato conosco e solicitar um orçamento para o seu projeto de gestão de tráfego pago.

Ficaremos felizes em contribuir para o crescimento da sua empresa, pois o seu sucesso é o nosso sucesso!

0 0 voto
Classificação